DANÇA DA MORTE
August Strindberg

Encenação

Marco Martins

Com

Isabel Abreu, Miguel Guilherme e Sérgio Praia
thumb

“No outro dia, li no jornal que um homem se tinha divorciado sete vezes e, consequentemente, se tinha casado também sete vezes. No final, quando já tinha noventa anos, foi a correr casar-se outra vez com a primeira mulher. É isto o amor. Nunca cheguei a perceber se a vida é uma coisa séria ou apenas uma farsa.
August Strindberg in “Dança da Morte”


Dança da Morte fala-nos de nós, da crise do íntimo e do jogo perigoso que consiste em procurar no outro a culpa das nossas escolhas e falhanços individuais. Retrato diabólico e desolado da vida de um casal, fechado no espaço claustrofóbico de uma sala e isolado do mundo, fala-nos de identidade e de carácter, desse jogo infinito entre o medo e o desejo. Miguel Guilherme, Isabel Abreu e Sérgio Praia defrontam-se numa releitura intensamente realista e psicológica deste drama íntimo, um texto fundador da dramaturgia contemporânea que marca o regresso de Marco Martins ao palco do São Luiz.

Ficha técnica


de August Strindberg

tradução João Paulo Esteves da Silva

encenação Marco Martins

com Isabel Abreu, Miguel Guilherme e Sérgio Praia


figuração Mariana Mestre e Pedro Cruzeiro

cenografia Artur Pinheiro

figurino Isabel Carmona

desenho de luz Nuno Meira

sonoplastia ameba

fotografia José Frade


direcção de produção Narcisa Costa

administração Arena Ensemble Marta Delgado Martins

co-produção Arena Ensemble e São Luiz Teatro Municipal


classificação etária M/12

duração 2h10

estreia 25 de Outubro de 2012, São Luiz Teatro Municipal, Lisboa


agradecimentos Act – Escola de Actores, Galeria Quadrum, José Pedro Sousa, Maria Almeida, Maria Matos Teatro Municipal, Teatro Nacional D. Maria II, Patrícia Vasconcelos e Tiago Carvalho

FECHAR

Image
© José Frade