A CONQUISTA DO PÓLO SUL
Manfred Karge

Encenação

Beatriz Batarda

Com

Ana Brandão, Bruno Nogueira, Flávia Gusmão, Miguel Damião, Nuno Lopes, Nuno Nunes e Romeu Costa
thumb

Um charuto no Pólo. Verdadeiramente fantástico.

A Conquista do Pólo Sul foi escrita no final dos anos 80, antes da queda do muro de Berlim, e conseguiu sobreviver à explosão das novas linguagens teatrais, ao adormecimento da ilusão, às novas escritas meta-teatrais, às releituras dos clássicos, e até às mutações sociais da Europa. Numa combinação de classicismo e contemporaneidade, realismo e artifício, prosa e verso, a peça resulta de um jogo altamente teatral “despolossulizado” pela energia anárquica daqueles que vão sendo marginalizados pelo sistema. Encontramos num sótão quatro amigos - por quem poderíamos igualmente passar na rua - destruídos pelo empobrecimento, pelo desemprego, pelo vazio que ocupa o lugar do futuro. O sótão no teatro - ou o teatro no sótão - serve de moldura que enquadra a nossa atenção, dando-nos por um período de tempo, naquele lugar, a possibilidade de reconhecer a esperança que, de outra maneira, ao passar na rua indiferentes, não poderíamos descobrir. Slupianek, o grande explorador do Pólo Sul no frigorífico conduz-nos de arma na mão e Roald Amundsen debaixo do braço, em busca do caminho da vitória por entre a roupa do estendal, tachos e pombas. Numa viagem épica pelo sonho, os amigos encontram o caminho da reconstrução das suas vidas domésticas e a fé de que algo de bom poderá vir.

Ficha técnica


de Manfred Karge

tradução Helena Topa

encenação Beatriz Batarda

colaboração artística Marco Martins

com Ana Brandão, Bruno Nogueira, Flávia Gusmão, Miguel Damião, Nuno Lopes, Nuno Nunes e Romeu Costa


cenografia Wayne dos Santos

figurino Isabel Carmona

movimento Victor Hugo Pontes

desenho de luz Nuno Meira

sonoplastia Sérgio Milhano

direcção musical Nuno Rafael

fotografia Estelle Valente

assistente de desenho de luz Cárin Geada



direcção de produção Narcisa Costa

assistente de encenação e produção Carolina Serrão

administração Arena Ensemble Marta Delgado Martins

um projecto Arena Ensemble

produção São Luiz Teatro Municipal

co-produção Centro Cultural Vila Flor


classificação etária M/14

duração 2h15

estreia 7 de Abril de 2016, São Luiz Teatro Municipal, Lisboa


agradecimentos Victor Hugo Pontes, Sérgio Milhano e Ministério dos Filmes

apoios Cabelos WIP-Hairport, Peris Costumes – Maria Gonzaga Guarda Roupa


FECHAR

Image
© Estelle Valente